Medicina Hiperbárica - Como Age o Tratamento:

EFEITO PRIMÁRIO DA OXIGENOTERAPIA HIPERBÁRICA:

A pressão parcial do oxigênio (PO²) pode ser aumentada muitas vezes além da PO² que é atingida pela respiração do ar, nas condições atmosféricas. Durante o tratamento, a PO² aumenta em até 20 vezes. O fator que controla esse grau de elevação é a pressão absoluta atingida no interior da câmara hiperbárica, enquanto o paciente respira oxigênio puro.
Uma pessoa respirando ar ambiente, ao nível do mar, a PO² é de 90mmHg. Já essa mesma pessoa, dentro de uma câmara hiperbárica, a 2,4 ATA de pressão, respirando oxigênio puro, a PO² passa a ser de 1800mmHg.

EFEITOS SECUNDÁRIOS DA OXIGENOTERAPIA HIPERBÁRICA:

-Efeito Antibiótico: o próprio aumento do oxigênio gerado pela terapia proporciona ação bactericida, bacteriostática, fungicida e fungiostática, aumentando a ação dos macrófagos. No caso de alguns antibióticos como os aminoglicosídeos, cefalosporinas, cloranfenicol, clindamicina e vancomicina, agem em sinergismo com a hiperóxia, potencializando seu efeito.

-Estimula Angiogênese: O estímulo básico para a angiogênese é a hipóxia. No entanto, são requeridos níveis mínimos de oxigênio para que a síntese de colágeno seja eficiente e viável. A exposição diária por duas horas de hiperóxia, promovendo condições ideais para a neovascularização, seguida do período restante de hipóxia, que continue a estimular a angiogênese, constitui um esquema eficiente. Nestas condições, processos refratários a regeneração devido a isquemia, passam a reagir, e lesões com complicações mostram processo regenerativo mais rápido. É o chamado efeito compensatório da hipóxia.

-Efeito Bioquimico: A hiperóxia hiperbárica permite, através da hiperoxigenação celular, o deslocamento de reações bioquímicas, envolvendo substâncias tóxicas ou toxinas biológicas. São os casos de intoxicação por monóxido de carbono, cianeto e seus derivados, além de intoxicação por animais peçonhetos.

-Efeito Vasoconstrictor: O aumento considerado de oxigênio no plasma, por si só, leva a uma vasoconstricção, resultando em uma diminuição do edema, sem comprometer o aporte de oxigênio no tecido devido a hiperoxigenação.

-Estimula Osteogênese: A hiperóxia permite uma melhor atividade dos osteoblastos.

-Efeito Cicatrizante: Em qualquer lesão tecidual em que o oxigênio não atinja pelo menos 40mmHg no tecido, há uma deficiência na regeneração do mesmo. A hiperóxia estimula as células envolvidas na cicatrização, principalmente o fibroblasto.

-Efeito Mecânico da Pressão: A introdução de ar no Sistema Nervoso e Arterial, pode levar a embolia gasosa cerebral, levando a comprometimento neurológico grave. Aumentando-se a pressão ambiente e após reduzindo-a lentamente, consegue-se diminuir em até 1/6 o tamanho original das bolhas.

Iso-9001
Dra. Taenna Santana Henry, Diretora Técnica Médica, CRM 5936
Hospital Santa Rosa • Rua Adel Malouf, 119 • Bairro Santa Rosa • Cep: 78040-783 • Cuiabá-MT • Tel. 65 3626.3701 Fax. 3626.3698
Webcomtexto